Últimos Posts

Concurso de agente de saneamento é denunciado por suposta irregularidade


Há alguns dias fui procurado por um munícipe que participou do “processo seletivo” realizado pela prefeitura municipal de Penápolis para a contratação de agentes, onde fui informado sobre situações relativamente estranhas envolvendo o referido “processo seletivo”.

Vale destacar que o mesmo munícipe já encaminhou a denúncia para que o Ministério Público investigue.

Mas vamos aos pontos que geram dúvidas:

  1. Cobrança de taxa – visto que se trata supostamente de processo seletivo e não de concurso, não existe motivo para que a Prefeitura Municipal de Penápolis cobre qualquer taxa de inscrição, ainda mais sendo que todos os envolvidos em tal “processo seletivo” são funcionários da própria prefeitura.Ainda, se há cobrança de taxa, presume-se que seja um concurso e portanto deveria ser realizado por profissionais capacitados para tais fins, ou mesmo por empresa com capacidade técnica.
  2.  Ausência de conteúdo da resposta de prova oral – tive acesso à prova (inclusive está anexada a esta postagem) e não há qualquer menção ao conteúdo da resposta dada pelos candidatos aos examinadores. Simplesmente existem o campo de questões e notas.
  3. Impossibilidade de recurso – se não existe conteúdo referente às respostas dadas pelos candidatos, obviamente não há como interpor recurso quanto à prova em si.
  4. Alegação não comprovada do examinador –  ao ser indagado pelo munícipe, mediante recurso, o examinador alegou que a questão estava errada, sem ao menos mostrar o conteúdo da resposta que supostamente estaria errada, isso mediante documento apresentado por escrito. Ao ser chamado na presença do munícipe, o mesmo examinador alegou não lembrar do munícipe. Ora, se sequer se lembrava do munícipe, como saberia com certeza qual havia sido exatamente o erro cometido em determinada questão??

Diante dos fatos acima narrados, qual a garantia dada ao candidato (que inclusive pagou pela taxa de inscrição) de que sua nota realmente condiz com a realidade?

Levando em consideração todos os fatos declarados pelo munícipe e apurados de fato, temos dúvidas que pairam sobre a eventual ilegalidade do tal processo seletivo.

O munícipe alega que acertou todas as questões, inclusive causando espanto no examinador por conhecer além do que foi exigido no edital, chegando a perguntar, segundo o munícipe, se o mesmo já havia exercido a mesma função anteriormente.

SERÁ QUE ESSE “PROCESSO SELETIVO” REALMENTE VISOU A VERIFICAÇÃO DE CONHECIMENTO DOS CANDIDATOS OU AS NOTAS FORAM DADAS POR OUTROS CRITÉRIOS NÃO MENCIONADOS NO EDITAL???

 

Publicações Recentes

»

Prefeito Célio concede uso gratuito da incubadora para ex-secretário municipal

O prefeito Célio de Oliveira concedeu, por meio do decreto nº ...

»

Negado provimento ao recurso do prefeito interino Rubens Bertolini relativo a sua nomeação sem concurso

O juiz de Direito Dr. Augusto Bruno Mandelli negou provimento aos ...

»

Apelação do ex-prefeito Célio de Oliveira é rejeitada

No último dia 31/01/2017, o Tribunal de Justiça do Estado de São ...