Últimos Posts

Qual será o destino mais provável do lixo reciclável acumulado na CORPE? O aterro sanitário!


20121228_103402

 

Conforme foi divulgado no Jornal Interior, Coluna Observatório da Cidade no dia 08/01/2013, o destino pretendido pelo novo prefeito Célio de Oliveira é o aterro sanitário.

Na referida coluna do dia 08/01/2013, foram feitas as seguintes afirmações:

Herança
Outra herança que já dá o que falar é o grave problema enfrentado pela Corpe (Cooperativa dos Recicladores de Penápolis). De acordo com Célio, tratou-se de um problema “empurrado com a barriga” e será o grande desafio do trimestre da nova administração, por meio do Daep (Departamento Autônomo de Água e Esgoto). São 120 toneladas de lixo depositado do lado de fora da sede da Corpe que precisa de solução imediata.

Descarte
Não tem mais utilização o que restou sem processamento, havendo inclusive a decomposição ao ar livre, contaminando o meio ambiente. Segundo Célio, nem dando de graça ninguém aceita mais. O prefeito anunciou que o problema ambiental será levado a conhecimento do Ministério Público. A única solução agora é aterrar o material que levará aos e anos, algumas centenas talvez, para se decompor.

Bom, vamos lá já que existem alguns trechos que chamaram muito a minha atenção.

O primeiro trecho é “havendo inclusive a decomposição ao ar livre“.

É lixo orgânico ou material reciclável como plástico, metal, vidro e papel?!

Conforme o que é divulgado no site da CORPE, os materiais recolhidos são papel, plástico, metal e vidro. Basta acessar http://www.daep.com.br/corpe/lixo.php.

Há ainda, no rodapé do site da CORPE, uma informação quanto ao tempo de decomposição de alguns materiais, como podemos ver no trecho abaixo.

Tempo de decomposição dos materiais:

– Num lugar úmido, o papel leva 3 meses para sumir, jornais podem permanecer intactos por décadas.Em um ambiente úmido, um fósforo não se decompõe antes de 6 meses,

– O miolo de uma maçã, que se decompõe em uns 6 meses
Um cigarro pode demorar de 1 a 2 anos para se decompor

– Um chiclete jogado no chão pode durar até 5 anos.
Uma lata de aço se desintegra em uns 10 anos, uma lata de alumínio não se corrói nunca.

– Garrafa de plástico demora centenas de anos para desaparecer.
Vidro demora 4 000 anos para se desintegrar pela erosão e ação de agentes químicos.

Já é óbvio que temos uma enorme incoerência e diversas contradições nas supostas alegações do prefeito Célio de Oliveira, uma vez que o material a que ele se refere não se decompõe com facilidade.

A NÃO SER É CLARO QUE O NOVO PREFEITO TENHA ENCONTRADO UMA POÇÃO MÁGICA PARA DECOMPOR ESTE TIPO DE MATERIAL RECICLÁVEL EM POUCO TEMPO, O QUE OBVIAMENTE SALVARIA O MEIO AMBIENTE EM TODO O PLANETA!

Não fosse suficiente a alegação de que o material já se encontra em processo de decomposição, ainda temos um outro trecho ainda mais grave.

O trecho mais grave ainda é o que afirma o seguinte “contaminando o meio ambiente“.

SE EXISTE CONTAMINAÇÃO DO SOLO EM ÁREA PÚBLICA, TODOS AQUELES AGENTES PÚBLICOS QUE POR AÇÃO OU OMISSÃO DERAM CAUSA À REFERIDA CONTAMINAÇÃO DO MEIO AMBIENTE DEVEM SER PROCESSADOS PELO MINISTÉRIO PÚBLICO!

Se o novo prefeito Célio de Oliveira tem conhecimento de que a área onde o lixo acumulada da CORPE está, antes de mais nada, deveria ingressar com denúncia formal no Ministério Público contra os todos agentes públicos que tinham conhecimento do problema e não o resolveram, bem como o presidente da autarquia responsável pela coleta do material nos últimos meses.

Nem seria preciso citar que o fato de tal material ser descartado como lixo comum é um desrespeito total com a população que têm participado da coleta seletiva em suas residências, separando o lixo reciclável para que o mesmo não venha prejudicar ainda mais o meio ambiente.

Isso sem contar que foram gastos milhares de reais com a coleta (caminhões, sacolas de lixo, mão-de-obra, estrutura física etc), uma vez que o DAEP havia assumido a coleta, e portanto, dinheiro público foi aplicado naquele lixo.

SIMPLESMENTE JOGÁ-LO FORA É UM DESRESPEITO COM O CIDADÃO PENAPOLENSE E TAMBÉM UM CRIME, JÁ QUE O DINHEIRO PÚBLICO FOI DESPERDIÇADO.

Infelizmente este parece ser o posicionamento da Prefeitura Municipal de Penápolis.

Mas acredito que o Promotor de Justiça responsável pelo setor do Meio Ambiente em Penápolis não irá concordar com o prefeito eleito Célio de Oliveira.

Vale salientar que minhas opiniões foram baseadas no conteúdo de notícia veiculada em meio de comunicação idôneo da cidade de Penápolis, sendo que as palavras atribuídas aos agentes públicos não foram por mim inventadas, mas sim retiradas do conteúdo editorial do jornal em questão.

 

 

 

 

 

 

Publicações Recentes

»

Prefeito Célio concede uso gratuito da incubadora para ex-secretário municipal

O prefeito Célio de Oliveira concedeu, por meio do decreto nº ...

»

Negado provimento ao recurso do prefeito interino Rubens Bertolini relativo a sua nomeação sem concurso

O juiz de Direito Dr. Augusto Bruno Mandelli negou provimento aos ...

»

Apelação do ex-prefeito Célio de Oliveira é rejeitada

No último dia 31/01/2017, o Tribunal de Justiça do Estado de São ...